Tecpar contribui para manutenção da capacidade produtiva do solo

A sustentabilidade da produção de alimentos depende da manutenção e da melhoria da capacidade produtiva do solo. Para promover a reflexão sobre o tema, em 15 de abril é comemorado o Dia Nacional da Conservação do Solo. Há 10 anos, o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) contribui para a preservação e a correta utilização deste importante recurso natural, analisando a quantidade de substâncias contaminantes potencialmente presentes no solo, como metais pesados e resíduos de agrotóxicos.

“Acreditava-se que o solo e sedimento seriam fontes inesgotáveis, porém, atualmente sabe-se que é um recurso não renovável, se não houver o manejo adequado ou continuar exploração desenfreada”, explica a gerente do Centro de Tecnologia em Saúde e Meio Ambiente do instituto, Daniele Adão.

Segundo ela, o laboratório do Tecpar está registrado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para fazer o controle da qualidade de fertilizantes, corretivos agrícolas e inoculantes para fabricantes em todo o território nacional.

O instituto também oferta ensaios na área de resíduos de agrotóxicos em solos e sedimentos, atendendo as principais legislações vigentes. Esses ensaios são desenvolvidos com metodologias e equipamentos mais modernos, avaliando mais de 350 tipos de agrotóxicos.

PREVENÇÃO – O uso racional de fertilizantes pode evitar a poluição e a degradação do solo, contribuindo para o fornecimento de alimentação de qualidade à população.

Para evitar o uso incorreto destas substâncias, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) fiscaliza fertilizantes, corretivos agrícolas e inoculantes comercializados no Estado. Neste contexto, o Tecpar é responsável pela verificação das garantias declaradas pelo fabricante, por meio de ensaios químicos, físicos e microbiológicos. Desde o último contrato estabelecido com a agência, em 2016, já foram analisadas 930 amostras de fertilizantes.

“Um dos efeitos relacionados ao uso inadequado de fertilizantes, ou de produtos que não estão de acordo com as legislações do ministério, é a ação tóxica que uma substância provoca nas plantas, prejudicando seu desenvolvimento”, alerta Daniele.

PARCERIA – O Tecpar é associado à Rede de Laboratórios para a Detecção de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Animal e Vegetal Destinados ao Consumo Direto e Indireto (RRC). Trata-se de um projeto-piloto do Ibama que visa gerar indicadores ambientais quanto à presença de agrotóxicos em solos, águas superficiais e águas de chuva em diferentes zonas climáticas do Brasil.

De acordo com Daniele, os recursos obtidos por meio da rede contribuem para o aprimorar a infraestrutura dos laboratórios do instituto, além de melhorar as condições de execução dos ensaios, ampliar sua capacidade analítica e implantar novos ensaios.

LEGISLAÇÃO – A resolução 420/09 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conamas) estabelece critérios para a avaliação de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas, ou seja, que resultam da ação humana.

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this pageEmail this to someone

Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)

Empresa pública criada em 1940 e vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, o Tecpar atua em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação.



Instituto de Tecnologia do Paraná tecpar 2017 todos os direitos reservados